Até os provérbios mudam....


Os falantes de qualquer língua, inconscientemente, obedecem à lei da economia de tempo e à lei do menor esforço, por tal, ouvimos, hoje, expressões que repetimos e a que damos significado mas que foram adulterados e se afastam nuns casos, muito, noutros menos do seu enunciado primitivo.
Damos conta de alguns exemplos estudados por Pasquale Neto.

Na forma popular diz-se:
Este menino não pára quieto, parece que tem bicho carpinteiro
Forma primitiva:
'Este menino não pára quieto, parece que tem bicho no corpo inteiro'
Na forma popular diz-se:
'Quem tem boca vai a Roma.'
Forma primitiva:
Quem tem boca vaia Roma.
Na forma popular diz-se:
Quem não tem cão, caça com gato.
Forma primitiva:
Quem não tem cão, caça como gato... ou seja, sozinho.
Na forma popular diz-se:
Cor de burro quando foge.
Forma primitiva:
'Corro de burro quando foge!'

Comentários

Mensagens populares deste blogue

A importância de ciência no mundo atual