O Poeta é um Fingidor [2]


Bocage nasceu em Setúbal em 1765.
Marcado por uma infância difícil cedo deu sinais da sua natureza inquieta. A sua escrita revelava ausência de moderação e muitas vezes o vocabulário era violento e extremamente cáustico. À crítica reage sempre de forma brusca e não poupa os que ousam enfrentá-lo. Diz sempre o lhe vai na alma de forma genuína.
A obra de Bocage, plena de contrários, são a evidência do seu temperamento arrebatado e emotivo, torrente de sentimentos. Ainda assim, de Bocage tem-se, muitas vezes, a ideia de alguém com carácter irreverente e são famosas algumas anedotas. Não, não as contamos aqui...
Da sua pena saíram sátiras impiedosas, críticas contundentes ao modelo de sociedade, à mediocridade...

O Macaco Declamando

Um mono vendo-se um dia
Entre brutal multidão,
Dizem que lhe deu na cabeça
Fazer uma pregação.

Creio que seria o tema
Indigno de se tratar;
Mas isto pouco importava,
Porque o ponto era gritar.

Teve mil vivas, mil palmas,
Proferindo à boca cheia
Sentenças de quinze arrobas,
Palavras de légua e meia.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

A importância de ciência no mundo atual