Não Tenhas Medo do Escuro


de Gabriel Magalhães
por Carolina Fidalgo, 12º CT1

“Não tenhas medo do escuro”. Estas são as palavras que Edite, a protagonista desta obra, sussurra para si própria antes de adormecer. Para além disso, são também as palavras com que o autor nos propõe o desafio de ler este livro que mais que expor uma história, também nos propõe uma reflexão em relação ao sentido da vida e ao medo de viver.
O relato inicia-se quando o irmão de Edite recebe uma chamada para o informar de que a sua irmã está internada no Instituto Português de Oncologia e muito doente devido a um cancro. Após alguns dias, a mesma acaba por falecer. Contudo, após uma série de vários acontecimentos inexplicáveis, o cadáver de Edite desaparece e volta a aparecer um dia depois, em Amarante, com um livro de ponto sob as mãos.
Para que o leitor possa desvendar o enigma, o narrador torna-se a própria Edite, iniciando o seu relato a partir do momento em que descobre que sofre de cancro e que decide passar os seus últimos tempos de vida como professora de Português na Escola Secundária de Amarante.
O livro retrata assim os seus últimos meses de vida e revela ao leitor como é que Edite descobre que a sua vida valeu, de facto, a pena, graças às aulas que dá aos seus alunos e graças a dois homens que conhece e que a ajudam a encontrar o significado da sua vida, ainda que haja uma sombra que é a representação de todos os seus medos e arrependimentos a persegui-la constantemente.
Para além de debater valores morais e o que realmente é importante para a vida, este livro é um tributo à literatura, particularmente a literatura portuguesa. É defendido neste livro que a arte é, em grande parte, o que dá beleza às coisas, e que “A arte, a literatura é espreitar a eternidade.”
E tal como o autor nos desafia, desafio eu agora também: não tenham medo do escuro, enfrentem-no, lendo este livro de Gabriel Magalhães que porá à prova todas as ideologias sobre a vida e a morte que temos como estabelecidas.


Gabriel Magalhães é professor de Literatura na UBI. Não tenhas medo do escuro é o seu primeiro romance, pelo qual recebeu o Prémio de Revelação pela Associação Portuguesa de Escritores.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

A importância de ciência no mundo atual