5 de Junho: Dia Mundial do Ambiente

Num tempo em que se fala no degelo dos glaciares deixamos esta espectacular imagem que poderá ter tanto de bela quanto de preocupante.
A imagem dá-nos conta de uma depressão aberta no gelo pela cryoconite [crioconita] e de bolhas de ar e gás resultantes da acção de bactérias e algas que, emergindo na superfície, foram aprisionadas pelo arrefeciemnto nocturno.[NGP,2010]

Cryoconite [crioconita] é um material escuro formado por detritos orgânicos e inorgânicos que contribui para a fusão do gelo. O facto dos materiais escuros absorverem fortemente a radiação solar aumentam a temperatura localmente e, daqui resultante, o gelo tende a fundir formando-se pequenas depressões nas camadas geladas, o que representa uma fonte de erosão glacial.
Nestes detritos existem comunidades de microrganismos que incluem bactérias, vírus e algas… e, embora não haja nada de intrinsecamente não natural na presença da cryoconite, os cientistas interrogam-se sobre o papel que pode vir a desempenhar no desaparecimento das zonas geladas uma vez que a concentração de contaminantes nos orifícios pode resultar numa maior absorção de energia solar.
Evidências destes buracos no gelo foram documentadas na Islândia, Gronelândia, Canada, Cordilheira dos Himalaias…

Comentários

Mensagens populares deste blogue

A importância de ciência no mundo atual