Lembrar Júlio Verne... faz 106 anos que nos abandonou

Corria o dia 14 de Janeiro de 1862 quando o doutor Samuel Fergusson apareceu no meio de um trovão de aplausos, sem apresentar a mínima comoção, na sala das sessões da Real Sociedade de Geografia de Londres.
As honras e os aplausos só terminaram quando pediu silêncio a tão ilustre plateia. Em pé, hirto, com um olhar enérgico, levantou o índex da mão direita, abriu a boca e pronunciou esta única palavra:
- Excelsior!
Terminada a sessão fizeram-se os brindes, muitos brindes e no dia seguinte no Daily Telegraph surgia um artigo que dava conta da intenção do intrépido descobridor atravessar num balão toda a África, de leste a oeste. No artigo era anunciado que o que o segredo das vastas solidões de África iria ser finalmente conhecido.
Calculada a massa dos tripulantes e dos alimentos necessários, tendo bem presente que o equilíbrio de um balão na atmosfera é de extrema sensibilidade, Samuel Fergusson e os seus dois companheiros de aventura entraram no balão, Vitória, nome que lhe atribuíram.
Inicia-se desta forma uma aventura criada por Júlio Verne, o primeiro romance com conteúdo científico do escritor.
Numa entrevista datada de 1893, quando questionado sobre os conhecimentos que possuía acerca do funcionamento dos balões a resposta foi simples: Nenhuma.
Escrevi Cinco semanas em balão não como uma história centrada na ascensão em balão, mas, de preferência, na África [……] como não havia nenhum outro meio de conduzir os meus viajantes através de África que não fosse o balão, eis porque o introduzi na história…
Júlio Verne morreu no dia 24 de Março de 1905, em Amiens.
Cinco semanas em balão está à tua espera para ser requisitado.
Tem o número de registo:10980

Comentários

Mensagens populares deste blogue

A importância de ciência no mundo atual