Acordo ortográfico: o que é que muda ? [4]

Existem consoantes que, de país para país, ou mesmo dentro do mesmo país, ora se pronunciam ora são mudas.
O Acordo Ortográfico estabelece ortografias duplas para estes casos de pronúncia oscilante. Vejamos alguns exemplos:
 cato e cacto
 facto e fato
 aspeto e aspecto
 receção e recepção
 excecional e excepcional
 jacto e jato
 subtil e sutil
 omnipotente e onipotente
 amígdala e amídala
 súbdito e súdito
 aritmética e arimética.

O que é que muda com esta regra?
Para nós a prática passa a ser a seguinte: se a consoante nunca é pronunciada, é eliminada; mas pode haver grafias duplas.
Por exemplo, o c de aspecto nunca é pronunciado; então a grafia aspecto é eliminada e substituída por aspeto.
Já no caso do c de dactilografia umas vezes pronuncia-se e outras não; temos, por isso, as grafias datilografia e dactilografia.



Os seguintes nomes de origem bíblica podem escrever-se de duas maneiras:
 Jacó ou Jacob (b nunca pronunciado)
 Davi ou David (d final umas vezes pronunciado e outras não)


Madrid e Valladolid têm em português nomes com um d final que umas vezes se pronuncia e outras não, podendo omitir-se. Admitem-se, assim, as seguintes ortografias duplas:
 Madri e Madrid
 Valhadoli e Valhadolid.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

A importância de ciência no mundo atual