31 de março de 2011

Figura humana...

É uma questão de tempo até que se desenrolem... e quando tal acontecer daremos conta.

Mostra de trabalhos que evidenciam o domínio da representação da figura humana.



Os trabalhos podem ser apreciados no átrio da sala 21 [brevemente]

A actividade é coordenada pela Profª Mariana Azevedo.

24 de março de 2011

Lembrar Júlio Verne... faz 106 anos que nos abandonou

Corria o dia 14 de Janeiro de 1862 quando o doutor Samuel Fergusson apareceu no meio de um trovão de aplausos, sem apresentar a mínima comoção, na sala das sessões da Real Sociedade de Geografia de Londres.
As honras e os aplausos só terminaram quando pediu silêncio a tão ilustre plateia. Em pé, hirto, com um olhar enérgico, levantou o índex da mão direita, abriu a boca e pronunciou esta única palavra:
- Excelsior!
Terminada a sessão fizeram-se os brindes, muitos brindes e no dia seguinte no Daily Telegraph surgia um artigo que dava conta da intenção do intrépido descobridor atravessar num balão toda a África, de leste a oeste. No artigo era anunciado que o que o segredo das vastas solidões de África iria ser finalmente conhecido.
Calculada a massa dos tripulantes e dos alimentos necessários, tendo bem presente que o equilíbrio de um balão na atmosfera é de extrema sensibilidade, Samuel Fergusson e os seus dois companheiros de aventura entraram no balão, Vitória, nome que lhe atribuíram.
Inicia-se desta forma uma aventura criada por Júlio Verne, o primeiro romance com conteúdo científico do escritor.
Numa entrevista datada de 1893, quando questionado sobre os conhecimentos que possuía acerca do funcionamento dos balões a resposta foi simples: Nenhuma.
Escrevi Cinco semanas em balão não como uma história centrada na ascensão em balão, mas, de preferência, na África [……] como não havia nenhum outro meio de conduzir os meus viajantes através de África que não fosse o balão, eis porque o introduzi na história…
Júlio Verne morreu no dia 24 de Março de 1905, em Amiens.
Cinco semanas em balão está à tua espera para ser requisitado.
Tem o número de registo:10980

21 de março de 2011

Dia Mundial da Poesia

Dia Mundial da Poesia... chegou a Primavera




Água que passa e canta
É água que faz dormir...
Sonhar é coisa que encanta,
Pensar é já não sentir.






Andorinha que vais alta,
Porque não me vens trazer
Qualquer coisa que me falta
E que te não sei dizer?



:
.


Quadras ao gosto popular [de Fernando Pessoa]
Ilustrações http://www.anarazuk.com/obras/it-quadras.htm

17 de março de 2011

Na escola falou-se sobre o Senegal...























.
Como dissemos há dois dias atrás, na biblioteca, Djeregueye, natural do Senegal e residente no Fundão, encontrou-se com cerca de 60 alunos para falar sobre a sua terra natal.
A plateia manteve-se colada a cada frase, a cada gesto do convidado do grupo de francês da escola, nos cerca de noventa minutos em que falou sobre o seu país, a sua cidade, os custumes e as tradições.
A empatia entre os alunos e o orador tornou-se evidente desde o primeiro minuto e, por isso, as questões sucederam-se e as respostas surgiram prontas numa linguagem simples e cativante.
No final, à volta de uma mesa com frutos frescos e frutos secos, bebeu-se chá de menta.
Obrigado pela lição, Djeregueye.

11 de março de 2011

2011: Ano Internacional dos Afrodescendentes


As Nações Unidas proclamaram 2011 como o "ANO INTERNACIONAL DOS AFRO-DESCENDENTES”
De acordo com o Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, o grande objectivo da decisão tomada é tentar fortalecer o compromisso político de erradicar a discriminação a descendentes de africanos. A iniciativa também visa promover o respeito pela diversidade e herança culturais.
Ban Ki-moon lembrou que as pessoas de origem africana estão entre as que mais sofrem com o racismo, além de verem negados os seus direitos básicos à saúde e educação de qualidade.
No lançamento do ANO INTERNACIONAL DOS AFRO-DESCENDENTES recordou a Declaração de Durban [reconhecimento da comunidade internacional da tragédia e desrespeito à humanidade que foi o tráfico transatlântico de escravos] e apelou aos governos para assegurarem a integração total de afrodescendentes em todas as dimensões.

4 de março de 2011

Aí está... o Carnaval de Veneza


Com naturalidade associamos o carnaval ao Brasil.

Mas desta vez não queremos deixar passar esta data festiva sem assinalar, ainda que com uma breve apresentação, aquele que é considerado o mais famoso carnaval europeu, o carnaval de Veneza!



"... a sua origem, nos termos em que hoje é conhecido, remonta, segundo se pensa, ao ano de 1162, quando a então designada Repubblica Della Serenissima obteve uma importante vitória na guerra contra Ulrico, o patriarca de Aquileia, que invadiu a cidade enquanto esta estava ocupada a lutar com o Ducado de Pádua e Ferrara. Após a derrota, Ulrico teve de pagar à cidade um touro e doze porcos, que passaram, a partir de então, a fazer parte da tradição da festa da Sexta-feira Gorda, em que o mesmo número de animais era morto na Praça de S. Marcos, numa grande festa que incluía banquetes, danças, espetáculos de acrobacias, truques de magia e marionetas, entre outros. A especificidade do Carnaval de Veneza nascia assim oficialmente das celebrações desta vitória e, como era hábito na Idade Média, mágicos, charlatães, acrobatas e saltimbancos juntavam-se ao povo, aos mercadores e à nobreza. Veneza, na época ainda uma pequena mas muito poderosa república, tinha uma acentuada característica multicultural, fruto da sua importância como centro mercantil e ponto obrigatório da passagem, tanto no atual território da Itália como nas rotas da China e do Próximo Oriente.

Esta festa continuou por muitos séculos até que no século XVII foi enriquecida em termos de música, cultura e vestuário rico e exótico. As belíssimas máscaras estiveram, durante centenas de anos, associadas à tradição e à fantasia do Carnaval e muitas delas tornaram-se famosas fazendo mesmo parte da "Commedia dell'Arte", um tipo de teatro cómico surgido na segunda metade do século XVI, que se contrapunha ao teatro clássico rígido e formal e que imortalizou personagens como o Arlequim, a Columbina, a Pulcinella, o Doutor ou o Pantalone ..."in Infopédia.
Miró, pintor espanhol, deixou-nos a sua visão com a pintura: "O carnaval de Arlequim"







Ajuda - construção de resumos

Mapa de conceitos - Guião para construção [dez 2015]

Apoio à literacia [revisto em setembro 2015]